A Caminho da Luz – A Grécia

Olá pessoal! Na postagem anterior, terminamos um breve estudo sobre os grandes povos que deram origem a nossa civilização. A partir dessa postagem, vamos iniciar uma descrição mais de acordo com a cronologia. Vamos começar por um dos povos mais fascinantes da História Antiga, a Grécia! (Adquira seu exemplar pela Amazon ou pela Livraria da Travessa)

Adquira A Caminho da Luz

A Grécia

A Civilização Grega é muito antiga, mas obteve maior destaque a partir do chamado Período Homérico, 1100 a.C. Foi uma civilização marcada pelo pensamento, pela filosofia e pela arte.  Seus pensadores levaram às multidões os princípios dos grandes iniciados das demais civilizações, especialmente a egípcia, onde foram buscar muitos de seus conhecimentos.

Cerca de cinco séculos antes do nascimento de Jesus, ocorreu nas terras da Antiga Grécia o surgimento de inúmeras escolas políticas, filosóficas e religiosas, tendo por objetivo espiritual a preparação do ambiente para receber os ensinamentos que o Mestre traria a Humanidade.

Esparta e Atenas

Conta Emmanuel que o mundo precisava conhecer a boa e a má semente para poder escolher melhor os rumos que tomaria.

Os espartanos viviam a existência absoluta do Estado, que proibia o comércio e condenava a cultura. Os estrangeiros eram tratados de maneira cruel, seus cidadãos deveriam vestir-se uniformemente, as crianças eram educadas pelo Estado, sem que fosse cultivada a parte intelectual, restringindo a afetividade familiar. Embora tenha ganhado notoriedade – especialmente no que tange a batalha contra o exército de Xerxes, rei da Pérsia, retratada no filme 300 –, Esparta é historicamente conhecida apenas como uma terra de soldados que espalhava guerra e destruição, sem ter contribuído significativamente com a construção da Humanidade.

Atenas é considerada o berço da democracia. Seu povo amava a liberdade, a cultura e as artes, e contribuiu para a iniciação dos demais povos a esses ramos da intelectualidade. Seus legisladores eram filósofos e poetas. Reformaram os sistemas sociais conhecidos ate então, de forma a proteger as classes pobres e desvalidas. Acolhiam os estrangeiros, protegiam o trabalho e fomentavam o comércio, as indústrias e a agricultura. Seu povo decidia, em assembleias numerosas, todos os problemas da cidade, marcando os primórdios das modernas democracias que hoje temos no mundo.

Pitágoras

pitagoras

Pitágoras, um dos grandes gênios da Grécia Antiga, é largamente citado no livro Depois da Morte, de Léon Dennis. Iniciado nos templos egípcios, deixou em suas teorias, ainda que de forma velada, no que diz respeito a parte espiritual, a harmonia e o ritmo que rege todas as coisas, no movimento dos astros, na concordância dos três mundos – natural, humano e divino. Sua academia foi uma escola admirável de iniciação laica, preludiando o grande movimento de ideias que estava por vir.

Os pitagóricos já acreditavam na existência do ser, enquanto alma envolvida em corpo físico, não pertencente ao plano material, tendo necessidade de várias existências materiais para libertarem-se das “manchas” que adquirem devido a comportamentos inadequados. Acreditam que a evolução material dos mundos e a evolução espiritual das almas são paralelas e interdependentes.

Também conheciam o movimento da Terra em torno do Sol (translação) e de si mesma (rotação), conhecimentos esses que chegaram a Copérnico através de relatos escritos por Cícero, que teria apreendido tais ideias a partir de seu contato com um discípulo de Pitágoras, Hicetas. Sabiam da existência de um fluido imponderável – conhecido por eles como Manto de Cibele, pelos egípcios como Véu de Ísis e pelos espíritas como fluido cósmico universal – que pode ser modelado pela ação da vontade, une espírito e matéria e onde tudo é gravado. Mais tarde, Aristóteles retoma as teorias de tal fluido, denominando-o quintessência.

Sócrates

vatsoc

Foi Atenas o berço do maior filósofo que a Humanidade já conheceu. Discípulo de Anaxágoras, superou seu mestre, e foi imperfeitamente interpretado por seus próprios discípulos, entre eles Platão, que escreveu sobre seus diálogos no livro O Banquete.

A trajetória de Sócrates se aproxima muito da trajetória do Mestre Jesus. Ambos pregaram o amor, ambos feriram os interesses mesquinhos dos grandes da época, ambos foram condenados à morte como criminosos, por terem promovido “rebeldia” em seus seguidores. Essa semelhança torna muitos estudiosos céticos da existência de Jesus. Alguns religiosos acreditam que a comparação fere Sua grandeza. Mas, esclarece-nos o benfeitor espiritual, no livro A Caminho da Luz, que a comparação não diminui a importância da vinda do Cristo.

Provação coletiva da Grécia

Devido à condenação do maior mestre grego, a Grécia adquire um débito coletivo. Algum tempo depois, o povo grego é dominado pelo romano, e aquele que tanto amava a liberdade e a democracia, passa a ser cativo de outro mais despótico. Mas, como há sempre um bem em tudo o que acontece, os gregos passarão a ensinar muitas coisas a seus opressores. Falaremos melhor disso em próximas postagens.

Platão

platao

Iniciou-se também nos templos egípcios, e como iniciado, não pode ensinar às massas abertamente seus princípios. Assim, temos a filosofia platônica extremamente simbólica, como uma tentativa de passar os conhecimentos iniciáticos ao povo. Assim foram escritas suas obras, como Fédon e A República, bem como O Banquete, onde retoma as ideias de Sócrates, onde encontramos as teorias das emigrações das almas e suas reencarnações, as relações entre vivos e mortos, os emblemáticos Mito da Caverna e o Mito de Er, ambos presentes na última obra citada.

Por hoje é só, pessoal! Na próxima vamos começar a falar de um dos maiores impérios que a Terra já viu: o Império Romano. Preparem a pipoca! O que vocês acharam? Deixem seus comentários!

Adquira A Caminho da Luz

Até mais!

Links para adquirir as obras relacionadas:

4 comentários em “A Caminho da Luz – A Grécia

Adicione o seu

  1. Muito bom! Quero mais!

    Reforço aos colegas leitores que leiam o Mito de Er, é realmente muito interessante o relato do que seria o que conhecemos no meio espírita como mundo espiritual.

    Curtir

  2. Acho fascinante a história antiga, e ela sobre o prisma da espiritualidade, é mais interessante ainda, tirar o véu obscuro do passado da nossa evolução e cultura, como seres humanos é realmente fascinante. Agradeço pelas postagens e que o Mestre Jesus sempre ilumine e nos ensine cada vez mais e nos permita enxergar o passado para que o presente seja mais sábio.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: