Resenha – As Minituras

Sonhos sempre causaram fascínio. Profetas e oráculos se punham a decifrá-los desde eras remotas e reis e generais determinavam estratégias de acordo com essas visões. Mas e se os sonhos fossem, na verdade, planejados ou, ao menos, conduzidos por outras pessoas, e não uma mensagem misteriosa de forças sobrenaturais? Ou será que existem algo sobrenatural que planeja esses sonhos e os coloca em nossas mentes? É nessa aura de mistério que somos embalados na narrativa de As Miniaturas, livro escrito por Andréa Del Fuego, lançado pela Companhia das Letras em julho de 2013 e que recebi em parceria com a editora, através da plataforma NetGalley (Papo Literário integra o Time de Leitores 2020)

Adquira As Miniaturas

Quando as pessoas já não conseguem mais sonhar sozinhas, o Edifício Midoro Filho oferece os serviços dos oneiros, profissionais habilitados a conduzir as imagens mentais produzidas pelo cérebro durante o sono. O Edifício tem regras muito rígidas em relação ao seus funcionários e aos seus procedimentos e a que mais afetará a trama é: um oneiro não pode atender pessoas aparentadas. Só que, por um erro da própria administração. Um deles passa a atender simultaneamente uma mãe e seu filho, desenvolvendo um perigoso interesse por suas vidas fora dali.

O sujeito, enquanto está aqui, está seguro. O corpo não sofre, não que eu veja.

Esse interesse do oneiro pela família causa alguns transtornos para ele e para os atendidos, mas me pergunto se a mãe e o filho não encontrariam dramas semelhantes ou, quem sabe, piores sem esse erro do Edifício que frequentam para sonhar. Teria mesmo sido um erro da administração?

A narrativa é contada pelas três personagens principais, alguns capítulos pelo oneiro, outras pela mãe e outras pelo filho. Assim, conseguimos ter uma visão melhor dos acontecimentos e ver até onde vão as consequências dessa interação entre os três.

“Não tem segredo, é como filme, tem uns com final que a gente entende e outros não. Tem filme que a gente não entende nem o começo. Só vale se a gente entende.”

Algo que me deixou intrigada é que as pessoas não sabem que frequentam esse Edifício, não conseguem identificá-lo em pleno centro da cidade de São Paulo (muitas vezes, o oneiro comenta estar vendo a praça da Sé de dentro do prédio), causando uma sensação de que esse lugar pode não ser material. Então surgem diversas dúvidas: esse Edifício existe de fato? Quem são esses oneiros, são pessoas como nós? Os sonhos estavam interferindo na vida das pessoas ou a vida das pessoas estava interferindo nos sonhos? Ou seria um círculo infinito, em uma espécie de paradoxo do biscoito Tostines?

E a pergunta mais perturbadora de todas as que surgiram em minha cabeça durante a leitura: Será que era tudo um sonho? Será que tudo o que eles viveram foi um sonho?

Kindle com a capa do livro As Miniaturas no centro da imagem, com a miniatura de um anjo de cristal sobre ele. O fundo é composto por um tecido branco.

As Miniaturas é uma obra extremamente intrigante, que me absorveu completamente e que promete entreter a todos que gostam de uma aura de mistério, teorias de conspiração ou mesmo um drama familiar. Uma obra como poucas! Prepare seu cobertor e adentre o reino de Morfeu!

Adquira As Miniaturas

Se você se interessou por As Miniaturas, compre seu exemplar com meu link de afiliada Amazon! Você não paga nada a mais por isso e ainda apoia meu trabalho!

2 comentários em “Resenha – As Minituras

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: